More

Eu ganhei na Mega-Sena, mas e daí?

By pradowil 28 de setembro de 2023 No Comments 2 minutos de leitura

Não foi uma bolada, mas eu ganhei na Mega-Sena. Acertei 4 números. Dois números me separaram do milhão de reais. Paciência. Ficamos nos milhares de reais mesmo. Mais precisamente, R$ 1.039,90, direto para a conta da Caixa. Pagou o condomínio, a internet e a luz daquele mês. Tá bom. Dinheiro parece ser nunca demais.

O que me chamou a atenção em ganhar na Mega-Sena foi a tremenda insignificância disso tudo. Os tempos estão mudados. Pelo aplicativo de conversa do celular, um amigo mandou o emoji das palminhas. E só. Em outros tempos, debateríamos por horas sobre como acertar os números corretos da loto para a busca do tesouro perdido.

As piadinhas foram as mesmas por parte dos colegas de trabalho: empresta um dinheiro, paga o churrasco e por aí vai. A notícia de ter ganhado na Mega-Sena – ainda que não tenha sido uma bolada – não pegou ninguém de surpresa. As pessoas não vieram conversar comigo, querer saber mais detalhes sobre a minha técnica na hora de escolher os números certos.

A moça da lotérica esboçou certo sorriso contente, mas não tinha aquela quantia em dinheiro na hora para me pagar. Por isso, o dinheiro se diluiu na conta bancária e, consequentemente, nas contas do cotidiano. Mas, para a moça do Caixa, ganhar na Mega-Sena também não foi algo surpreendente. Ela comentou que muitos fazer a Surpresinha e ganham a Quadra. Eu escolhi a dedo aqueles números, repito-os semanalmente e, no fim das contas, a minha sorte não é maior nem menor do que a sorte do computador que escolher aleatoriamente seis números para o jogador que curte uma surpresinha.

Ganhar na Mega-Sena tem sempre a primeira vez, e talvez a última. Fico pensando que tenho mais azar do que sorte. Se for a minha única vez como ganhador da loto, o dinheiro foi pouco, bem que poderia ter sido milhões, e assim amainar aquela nossa ansiedade de não saber o que vai ser do futuro nosso e da nossa família por conta do dinheiro cada vez mais miúdo e do “custo Brasil” cada vez mais graúdo.

Ainda assim, eu curtir ganhar na Mega-Sena, muito embora meus amigos não tenham dado bola e absolutamente nada na ordem do dia tenha mudado. A correria é tanta que nem sequer levar a esposa e o filho para jantar e comemorar a gente consegue mais nesses dias loucos e calorentos. Enfim. A gente segue jogando, acreditando e tendo uma certeza que, nesta vida, dinheirinhos ou dinheirões não é o x da questão, apenas um mal necessário.

S
Post Anterior

Sonho de menino

O
Próximo Post

O amigo

Leave a Reply

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *